top of page
Image by Andrew Neel

ENSAIOS

de escrita, culinária, economia e finanças, bem-estar e reflexões sobre parentalidade

  • Foto do escritorJuliana Machado

Juliana, Luciana, Juliana

Atualizado: 15 de fev.



Papai cantava pra gente quase todas as noites na hora de dormir. Era meio que um ritual. Ir para a rede com ele, ouvir músicas da Jovem Guarda, embalar um pouco e ir para a cama dormir. Sei muitas músicas daquela época por conta desses momentos cheios de ternura.


Quando, no auge da adolescência, “Samba, Juliana” se tornou um hit e minha vida ficou mais dura, me apeguei a essas memórias para ter esperança.

Afinal, meu pai cantava para mim uma música linda “Juliana, Juliana... sorriso de menina, olhos de mar”... e a lembrança dessa música linda cantada cheia de carinho me dava forças para aguentar a poesia dos novos tempos...


Até que comentei com uma amiga querida Luciana essa história e ela fez uma grande revelação, que abalou o meu mundo. Não era Juliana a moça da música, era Luciana. E ela sabia disso, claro, porque o pai dela também cantava para ela. Arrasada, duvidei, questionei, confirmei. Fui falar com meu pai, cobrar satisfação, colocá-lo contra a parece mesmo. Ele riu.


Fiquei de novo só com “Samba, Juliana”. E segui a vida, sempre mais dura no carnaval.


Registro isso não com tristeza, mas na verdade para agradecer ao meu pai pelas pequenas inverdades cantadas ou faladas (sei que no seu coração, Betoca, a música era mesmo Juliana) e para dizer às Jenifers, Ana Júlias, Gabrielas e similares que aguentem firme e tenham esperança. Nunca passa de verdade, mas melhora com o tempo.


-----

Obs. 1: Em regra não, a Juliana não quer mesmo sambar.

Obs. 2: Sim, eu sei que tem uma nova música com meu nome, é a razão de eu ter resgatado este velho post. Todo carnaval o assunto surge.

Obs. 3: O texto não se aplica às Micheles. Vocês têm os Beatles, tá bom demais. Cecília também tem a música dela, um arraso aliás. Ela ama.

Obs. 4: Minha mãe também cantava para nós. Ela leu o texto e ficou sentida porque sempre falamos só do papai. É que a minha maior lembrança da mamãe era que ela deitava conosco, nosso chamego noturno. Mas ela cantava sim. Mãe, te amo.



26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page